SAÚDE

Governo autoriza ajustes no orçamento do Santa Tereza para normalizar atendimento da ortopedia

A deputada estadual eleita Cristina Silvestri e o diretor-administrativo do Instituto Virmond, Francisco Carlos Cogo, anunciaram ajustes no repasse de subsídios financeiros do Governo do Estado para o Hospital Santa Tereza, garantindo recursos da ordem de R$ 150.000,00 para que o setor de ortopedia volte a atender os pacientes.

O acerto foi feito em reunião nesta terça-feira (8) com o secretário de Estado da Saúde, Carlos Alberto Gebrim Preto (Beto Preto), e o superintendente de Gestão e Saúde da Secretaria, Geraldo Gentil Biesek, em Curitiba. A conversa aconteceu um dia depois de Cristina Silvestri reunir-se com os diretores do Instituto Virmond para analisar medidas para resolver a crise atual do Santa Tereza, que teve o serviço de ortopedia paralisado por falta de pagamento dos médicos.

O Instituto Virmond já recebe mensalmente um valor do Governo do Estado, e a solução encontrada, na reunião entre os técnicos, foi realocar recursos de uma área sem demanda para o setor de ortopedia, que assiste a pacientes de baixa, média e alta complexidade. “Segundo nos informaram, é necessário agora mudanças na documentação e assim que este trâmite estiver concluído, recursos serão disponibilizados para o Setor de Traumatologia e Ortopedia, restabelecendo a assistência à população que depende daquele hospital”, afirmou Cristina Silvestri.

O administrador Francisco Cogo informou que a nova condição valerá a partir dos serviços que serão prestados em fevereiro, com reflexo financeiro somente em 25 de maio, quando o hospital recebe o pagamento do Sistema Único de Saúde (SUS). O recebimento está comprometido ao cumprimento de metas estabelecidas pela Secretaria de Estado da Saúde.

“Amanhã (hoje) vamos chamar a equipe de ortopedia para apresentar uma nova proposta relativa a finanças e metas. As partes chegando a um consenso, os serviços voltam imediatamente”, asseverou Francisco Cogo, dizendo-se confiante que “todos entenderão”.

A deputada Cristina Silvestri disse que continuará fazendo todos os esforços possíveis para que a população continue recebendo atendimento hospitalar, no setor que compete ao serviço público.